11.12.2009

Brand New World

Gosto de ir a conferências. Inscrevo-me, sempre que posso por minha livre iniciativa e custeio e aproveito todas as hipótese que tenho para o fazer [profissionalmente ou quando surge um convite ou oportunidade, já que não posso ir a todas as que gostava pelos custos serem, tantas vezes proibitivos].

Quase nunca dou por mal empregue o tempo e dinheiro pois sou exigente e criterioso nas escolhas [não ficando a matutar que o podia ter empregue naquele gadjet ou naquela viagem], apesar de, por vezes [reconheço] ficar boquiaberto e um pouco “lixado” com a diferença abissal para com alguns dos oradores nacionais.

Sou contudo incapaz [mesmo quando oferecidas ou pagas por outrem] de não estar atento e não absorver ideias priveligiadas como uma esponja [e faz-me uma certa confusão quem desperdiça essas oportunidades].

Faço-o, [não só] mas sempre que mudo de área profissional ou de função, tentando assimilar conceitos, tendências e novos modelos de negócio ou paradigmas emergentes, antes de começar a comprar uma panóplia de livros técnicos sobre os temas que mais me despertam atenção e curiosidade.

Hoje tive o prazer de assistir a um dos Gurus da Economia do conhecimento, inovação, tecnologia e competitividade, Soumitra Dutta, que apesar dos seus créditos reconhecidos e notoriedade se apresenta com a humildade de “ter nascido na Índia, estudado nos EUA e vivido na Europa”, fazendo de si a imagem de “mero” homem global.

Sai com a sensação estranha de que existe um mundo a evoluir noutra divisão, numa velocidade diferente da nossa [talvez pequenez], fascinante mas que nos passa ao lado [mesmo que nos achemos informados], apesar de estar, também, cada vez mais ali ao lado.

Deixou-me, entre outras, uma pergunta complexa a ecoar [apesar de nos ter dado as suas reflexões e conclusões e concordar com parte delas]: “Technology makes us better humans?” e uma afirmação surpreendente que também faz pensar: "Produzem-se actualmente mais transístores que bagos de arroz".

Gosto de afirmações surpreendentes, mas gosto tanto de boas perguntas.

2 comentários:

continuando assim... disse...

" Aprender, aprender sempre!" :)

Tulipa disse...

Bela forma de eu começar o meu dia de trabalho...com essas questões, que muitas vezes já me coloquei. Eu acho que a evolução tecnológica podia nos fazer mais humanos, mas cada vez acho mais que nós Humanos queremos fugir daquilo que nos torna especial e únicos...
Quanto aos bagos de arroz...outros valores se levantam.

Aproveito para deixar estes links, parece-me uma estragégia para mobilizar as pessoas para o que é mais importante...imagina a mesma iniciativa para combater a fome.

http://www.youtube.com/watch?v=T7GzfMD6LHs

20/03/2010 em Portugal

http://limparportugal.ning.com/

kisses

Assíduos do shaker

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin