12.08.2006

Um simples olá

Dei por mim a magicar sobre este tema trivial. Banal, irrelevante. Talvez. Mas por vezes a nossa mente ocupa-se de coisas insignificantes, à primeira vista, que, do fundo do poço, trazem uma água fresca e cristalina.

Aquele cumprimento rápido e resposta quase automática deixou-me a pensar. “Como estás? Tudo bem?” ao qual respondi “Tudo e contigo?” para me aperceber que o diálogo já terminara pois três passos à frente a minha pergunta ficava sentada, à espera, não surtindo qualquer efeito. E se não estivesse tudo bem? Se algum de nós lhe apetecesse falar? Dar um abraço caloroso por a vida lhe sorrir. Bater com a cabeça na parede, atirar-se da janela?

Qual a lógica destes cumprimentos? Há mais. Querem ver… “Passou bem?”, que interessa o passado se já passou. “Viva”. Viva? o quê? "Bom dia" que se arrisca à ironia da cereja em cima dum bolo que já está a ser terrivel às dez da manhã, e muitas outras se pensarem bem.

Nesse momento fui comprar um gelado, não das minhas marcas favoritas, mas pelo facto de me lembrar que com um simples Olá "a vida sorri".

2 comentários:

lilazdavioleta disse...

Étão interessante lermos ( apesar de acontecer a milhares de pessoas),dito ividentemente por outro, aquilo que sentimos.Como estou de acordo consigo, qto aos cumprimentos e perguntas formais.
Já me "tenho visto" a fazer estes comentários, talvez com mais zanga e menos humor.Ri bastante ao lêr.
Só não compro o gelado... ou se o comprasse não o deixava caír...

lilazdavioleta disse...

Olá! Que se digam disparates para aliviar tensões...trocar e por i é que já é mais grave,
Mea culpa.
Só não compro um gela,pq não gosto.

Assíduos do shaker

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin