2.22.2010

O tempo é meu aliado

O tempo é meu aliado, guarda os meus silêncios numa casa isolada, feita de folhas de Outono, a amarelecerem na memória, a desfazerem-se sopradas, para um ramo alto, longínquo, a diluírem-se no calor do horizonte. Com eles vagueiam também as palavras arrependidas, balançando ao vento, penduradas, que de soltas sem amparo, deixaram algumas pegadas difíceis de desprender, e as que, de ouvidas como lâminas, ainda doem nas cicatrizes.

O tempo é meu aliado, aprisiona tudo dentro da vista dessa casa interior, até que um pestanejar mais fundo virá apagar definitivamente o seu giz, transformando-o num pó que se sopra à varanda e nos deixa de visitar. Abrem-se de novo as pálpebras como um bater de asas leve, longo, deixando respirar o ar frio que aquece numa paz que fica a planar, que perdura tranquila, para além do tempo - o tal, que faz o favor de ser meu aliado.

1 comentário:

Princesa Moscatel disse...

Ocorre-me deixar-te música. Lindíssimo texto, profundo.

http://www.youtube.com/watch?v=-Iiz4nGw8YQ

"Failure is always the best way to learn
Retracing your steps until you know
Have no fear your wounds will heal..."

Assíduos do shaker

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin