12.09.2009

Spiderweb in Hopenhagen

1.

"Estamos adormecidos, adormecemos os sentidos de manhã à noite, quer através de ruído, música alta, luzes à noite... Ninguém repara na beleza. E quando se perde a sensibilidade para a beleza do mundo, procuram-se substitutos. Segundo Eric Hoffer, nunca nos fartamos do supérfluo. Isto é, andamos sempre às voltas, permanentemente carentes. Mas a perda, a sensação de perda, é o facto de não sabermos o que perdemos. E o que perdemos foi a beleza do mundo, que compensamos com tentativas de o conquistar, de ser donos dele, possuí-lo".

2.

"O que o nosso dilema tem de melhor é permitir-nos re-imaginar tudo o que fazemos. Por outras palavras, não há nada que façamos, nem nenhum sistema nosso, que não tenha de sofrer uma remodelação. E há duas formas de encarar o problema: uma é “Meu Deus que grande provocação!” a outra, é a que prefiro, “que altura formidável para se nascer e viver”. Esta geração tem a oportunidade de remodelar completamente o mundo".

3.

"O modo como fabricamos e os nossos processos industriais são completamente opostos do modo como a vida faz as coisas. Vejam como fazemos o kevlar, o nosso material mais resistente. Pegamos em petróleo, aquecemo-lo a 760º celsius, fervemo-lo em ácido sulfúrico e fiamo-lo sob uma pressão enorme. Agora imaginem um organismo, nós, o nosso corpo a fabricar ossos ou dentes. Imagimem um abalone a fabricar a sua concha. Não suportariam temperaturas muito elevadas, nem pressões ou químicos. Por isso tivemos de inventar outros processos. Agora considerem a aranha. Esta bela aranha-de-teia-em-espiral que apanha moscas e grilos, transformando-os em água no abdómen e disso tudo resulta um material cinco vezes mais resistente que o aço. Silenciosamente, em água, à temperatura ambiente.Isto é quimica pura. Esperamos que seja assim o fabrico no futuro".


E o futuro? O futuro começa já agora!


Excerto do documentário absolutamente imperdível "The 11th hour"

3 comentários:

Tulipa disse...

A maioria das vezes farto-me do supérfluo, mas tenho alguns substitutos à frustração que, confesso, são pouco amigos do ambiente. Um bom banho de banheira é o meu maior pecado, mas com plena consciência do crime que cometo.
Mas, faço a minha parte dentro dos meus limites. Um dia, vou mudar o mundo. Kisses

francis disse...

Vi isso a semana passada, na RTP2, muito bom feito, muito interessante, muito lúcido, boa produção do Di Caprio. Muito mais consistente e credivel que o do Al Gore.

Dry-Martini disse...

Tulipa: Parece bem!

Francis: Não consegui ver todo mas foi excelente o que vi. Olha lá, chegaste a assinar a petição taurina? :)

XinXin

Assíduos do shaker

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin