5.24.2009

Viver, todos os dias

Correr com a vontade da descoberta. Um chuviscar de músicas. Infinitas. Mil coisas ainda por fazer. Não ter tempo. Andar descalço. Uma carta. A magia do pequeno pormenor. Que já não se usa mas faz toda a diferença. Beijar na alma. Mordido, como se não existissem palavras. Pollaroids dispersas ainda que desfasadas de momentos perfeitos. Sentir a brisa na cara. Saber da nossa pequenez. Tocar com calor. Largar com arrepio. Roubar sorrisos de sol. Mil e um. Sentido de humor. De nós próprios. Abraços apertados. Dar o ombro sem nada dizer. Beber forças na inocência e alegria de uma criança. A dor de certos adeus nas saudades guardadas. Só nossas. Uma bebida de fim de tarde, naquele local secreto, junto ao mar. O mistério de certas pessoas e locais. Um vinho que se abre à lareira. Uma refeição que se prepara com amor. O toque esguio e feminino de um piano de cauda. A cultura do chá. O cheiro a café. A placidez silenciosa do deserto. Livros devorados como fome. Frutos e poesia. Sedução e sensualidade. O entrar num quadro e ficar por lá. O assombro de certos olhares. Uma noite mágica com gotas de luar. A loucura de um impulso incontrolável. Desejo. Sedas. Âncoras de amizade. Faróis que iluminam, rodando sobre nós. Tempestades. O saber envelhecer lentamente. Discrição e saber retirar. A infindável beleza e sonoridade do mar e de certas palavras. O toque das palavras ao ouvido. Gestos lentos e memórias. A densa envolvência do silêncio, como um fumo leve, sorvido, na pele porosa. Surpresas e acasos que não importa saber explicar. Dar, apenas por dar e escutar. Raízes e impossíveis. Jacarandás.  Árvores imponentes num horizonte azul. Infindável. Praias desertas e encontros. Dúvidas e caminhos. Estranhas cumplicidades. Viver. Intensamente. Viver. Todos os dias.

10 comentários:

ariana luna disse...

Todos os dias. Como se fosse o último.

um perfeito estranho disse...

São as pequeninas (grandes...) coisas que nos fazem sentir a vida.
E vivê-la com sentido.

XinXin

Vanity disse...

É engraçado que às vezes andamos tão rodeados de gente e barulho e estamos tão sozinhos e vazios dos pequenos nadas. Gostei muito do texto...

Pi disse...

Em sintonia!
Viver todos os dias, sim!

Um bj, e Bom dia!

Blonde Girl disse...

O Pedro Paixão resume isso muito bem no título de um livro: "Viver todos os dias cansa". Claramente.

AnaMar (pseudónimo) disse...

Porque cada momento é único. E não sabemos quando pode ser o último, VIVAMOS!

Miffy disse...

Gostei muito do texto!!!

Principalmente na parte em que enfatiza a importância dos Pequenos Pormenores, que tornam cada um de nós um ser único e irrepetível/insubstituível.

E é em pequenos pormenores, sobretudo em situações de crise, que se revelam as pessoas com P grande, que temos a sorte de virem ao nosso encontro, nesta curta passagem!!!

© disse...

por falar em carta....
:)

Jojozinha disse...

quantas vezes ja te disseram que escreves bem?
podes somar mais uma!
beijinhos

Dry-Martini disse...

Também são os vossos comentários que me fazer vir aqui, viver estes momentos, quase todos os dias :)

c...zinha
Ainda estou a escolher o papel. Sabes que sou muito minucioso com essas coisas .P

Jojozinha,
Bem vinda. Nunca me tinham dito com diminutivo. hihihi

Assíduos do shaker

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin