4.26.2009

O peso da tua sombra

O peso da tua sombra, leve, no meu corpo. Uma nuvem escura, trazida por um vento do sul. Quase a diluir-se em chuva, sobre mim. Adiando o seu toque. O seu cair. Simplesmente pairando. Apagando a luz. Tacteando o peito com uma brisa de mãos frias. Lentas. Segredando pós de vidro magnéticos aos ouvido. Cor de lua.

O peso da tua sombra, leve, no meu corpo. Algures escondida  mas sentindo-te por inteiro. A tua presença esguia percorrendo-me como um véu invisível. Despertando a pele num arrepio. Encostando-se a medo. Inquieta. À distância de segurança. Pronta a partir.

O peso da tua sombra, leve, no meu corpo. Uma sombra escura como os teus olhos, vendados nos meus.

2 comentários:

Lúcio Ferro disse...

Caro Dry,


Essa sombra tem cá um peso... Ui.

Saudações embriagadas: Tinto, Mouchão.

M disse...

Gosto de sombras... Mas de preferência mais leves :P

Assíduos do shaker

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin