3.04.2009

A arquitectura do futebol

Não sou grande fã de futebol, exceptuando o inglês (pelo jogo) e o africano (pelo bónus de emoção hilariante extra jogo). Gosto de ver, às vezes, mas sou sobretudo alérgico às teorias, debates exaustivos e discussões do sexo dos anjos, à volta do futebol.

O futebol é, basicamente, um jogo de equipa que consiste em conseguir meter uma bola numa baliza. E não há muito mais a dizer, na minha modesta opinião. Mas adiante.

Acontece que, muito recentemente, ao fazer um zapping rápido deparo com esse “guru” do mundo do futebol, que dá pelo nome de Rui Santos (até me dá urticária proferir este nome acreditam?) que, imagine-se, comentava não as qualidades técnicas do Pablo Aimar ou as opções tácticas do Paulo Bento mas a desfuncionalidade e opções técnicas da obra arquitectónica do Estádio do Braga e a sua (inquestionável) relação com o facto do estádio estar vazio.

Estive para não escrever isto, pela natural indiferença que tais comentários devem suscitar, mas tal facto irritou-me, um bocado, sobretudo pela leviandade com que se proferem certas afirmações. Assim, apenas me apraz dizer quatro coisas para esquecer este infeliz episódio:


1. O arquitecto em causa não precisa de apresentações (nem vou referir o nome) pois é reconhecido internacionalmente (ao contrário, quer-me parecer, do Sr. Rui Santos);

2. O estádio em causa é apenas o mais bonito do nosso lindo e funcional país de estádios. O do Leiria, por exemplo, é porventura, bem mais bonito e funcional, para o Sr. Rui Santos, com a vantagem de se organizem casamentos em grupo para optimizar o espaço (vazio, lá está);

3. O estádio vazio parece-me ter mais relação com o mau futebol praticado em Portugal, os bilhetes serem caros e as estupidezes proferidas à volta do futebol. Mas é um palpite, não uma certeza;

4. O Sr. Rui Santos deveria simplesmente falar do que “sabe” e, mesmo assim, lembro-me sempre do Sr. Cruyfft (que também dispensa apresentações) que perguntava, por vezes, aos comentadores que clube tinham treinado, que títulos tinham no seu palmarés, ou até, se queriam experimentar e trocar com ele, antes de proferirem certas e determinadas barbaridades.

E pronto, no meu próximo post de arquitectura vou por à frente do Óscar Niemeyer, do Renzo Piano ou do Siza Vieira, o Sr. Rui Santos, ou então vou ver o programa dos "três estarolas", para ver se aprendo um pouco de art déco ou poesia medieval.


5 comentários:

SF disse...

É muito bonito, sim senhor.
Mas daí até afirmares que é 'o mais bonito', vai uma distância do tamanho de um 'dragão'...

:P

me.lx disse...

Concordo com a beleza do estádio, mas sou suspeita, pois gosto muito do trabalho do autor, não me importava nada de ter uma casa projectada por ele!
Agora esse futesopeiro...tirem-mo da frente.Os ditos comentadores deste país sabem de tudo mas não dizem uma coisa certa em profundidade, ninguém repara porque tudo vive longe do verdadeiro conhecimento.
As portuguesices de sempre :( "escrevi demais, oops"

Noiva Judia disse...

É verdade, de vez em quando ouvem-se assim umas aberrações. Eu quer-me parecer que o Sr. Rui Santos apreciará mais a obra de Lloyd Wright, que gostava de projectar casas redondas. Como os estádios são ovais, talvez sirva melhor o propósito do Sr. Santos.

Doce Veneno disse...

Opá e eu a precisar tanto de uma arquitecto...

Concordo contigo, é um dos estádios mais bonitos, com um design incrivelmente diferente do que o zé povinho está habituado.

Mas pronto, tudo Ok.

Belo Post.

Beijo

Miss Glitering disse...

Esse Rui Santos é um tanso de primeira! Basta olhar para o tamanho da cabeça, cumprimento dos braços e tamanho das maõs. Está tudo explicado: nerd!

Assíduos do shaker

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin