7.12.2007

Um sorriso teimoso

Uma casa
Quando a pedra é Douro
Pingando música
A nadar ao luar
Nua mas não tua

Uma noite
Quando a lua é companheira
De lentos desalentos. Revoltos
Envoltos em seda antiga
Suave cantiga

Um cansaço
Quando o gato é persa
Negro espreguiçar
De pores-do-sol
Escondidos. Teimosos

Uma lágrima
Quando a batuta. Astuta
Aponta finalmente para o futuro
E a transforma em água
Lagos de sorrisos esquecidos



Para a Rosselini se esquecer, às vezes, da Isabela

1 comentário:

Bé disse...

Ainda bem, que por vezes me posso esquecer do que é ser... e só parecer.. qual delas? Ainda nao sei! :)
Um beijo da tua musa negra

Assíduos do shaker

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin