4.14.2007

Lilith

Criada ao por do sol, cedo deixaste os dias para seres lua soberana da noite. Partiste em vento indomado, deixando um Adão sem costela, sem sono, sem maçã.

Com uma Eva tão diferente de ti como seria este mundo masculino se tivesses ficado? Melhor, em igualdade, em falsos pudores, em parece que é mas não é.

Feita de sangue e saliva, teu pecado foi seres directa e implacável. Demónio sensual, coruja nocturna, serpente do fruto proibido, na tua misteriosa fatalidade acompanhas-nos sempre, discreta, no lado negro da lua.


3 comentários:

Lilazdavioleta disse...

Olá!
Falar de Lilith não é assim tão fácil.
É verdade que, egundo a lenda,teve a valentia de não se submeter ao homem. Mas tornou-se vingativa e cruel.
Ser valente e livre não implica maldade e crueldade. O valor da força está mais no não uso desses atributos.
É o meu lema, mas estamos a falar de Lilith...

Lilazdavioleta disse...

Digo segundo e não egundo:-(

dry-martini disse...

Concordo. Mas eu olho sempre para o lado bom das coisas e das pessoas. Não sei se é uma virtude ou uma fraqueza .)

Assíduos do shaker

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin