10.17.2006

Noite de Jazz

Mesa do costume.
Gershwin a meia luz,
e uma taça de champagne.
Meio cheia? meio vazia?
Depende da perspectiva.

Apenas uma,
de algumas questões
que lhe percorriam a alma.

Bonita palavra - perspectiva.
Viaja ao futuro
reparando na arquitectura.
Abre janelas e ângulos.
Cria o poder da imagem.

E a que via, nesse momento
era a perfeição infinita
da sensualidade
do corpo feminino
num piano de cauda.

Atordoado por uma voz,
quente, um pouco rouca,
persentia
o múrmurio das conversas,
o leve cruzar de olhares,
as luzes dos cigarros.

Inundava-lhe, aos poucos,
uma paz. Ocenano
que diluia os pensamentos
na vastidão
do improviso sem regras
duma noite de Jazz.

1 comentário:

lilaz disse...

Sabe q. hoje confirmei o q. "senti", qdo li este texto.
"Noite de Jazz"foi apenas um "título" e Gershwin um nome q. condizia com o título.
Sabe q. Summertime deve ser a musica mais interpretada a nivel mundial.E ñ só pelas woman e men de jazz.SE poder ouça-a pela Janis Joplin.

Assíduos do shaker

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin